A Sexualidade Humana – Disfunções Sexuais e Tratamentos

O estudo da sexualidade humana é recente no campo científico e mesmo já se tendo realizado muitas pesquisas o assunto encontra-se aberto à inúmeras indagações. Alguns aspectos da sexualidade foram explorados desde a antiguidade Greco Romana, Hindu e Chinesa, mas foi somente a partir do final do século XIX  que cientistas se empenharam em estudos e pesquisas relativos ao Desenvolvimento Sexual  Infantil e nas alterações das funções sexuais normais.  Sem nenhuma dúvida, as principais contribuições científicas para compreensão, diagnóstico e tratamento das disfunções sexuais  vêm da Psicanálise, da Terapia Cognitiva e das teorias da Psicologia  Comportamental e atualmente da Neurociências, que se esforçam, para esclarecer e intervir terapeuticamente.

Principais causas das Disfunções sexuais

libido saudavel imagem

Inúmeros fatores orgânicos e emocionais podem levar à disfunção sexual. São questões elencadas na mais tenra infância ou conflitos mais atuais que produzem ansiedade e inseguranças, dando ordem às disfunções.  Infelizmente, existem pessoas que não desfrutam dos benefícios de sua sexualidade, porque não sabem como lidar com as angústias e com os sofrimentos provocados pelas crenças e pelos mitos difundidos inadequadamente pela sociedade. E, nesse caso, quando o ajustamento psicossexual não acontece corretamente, surgem dificuldades e conflitos da intimidade sexual, que se apresentam por meio de disfunções sexuais.

Disfunção Erétil é a incapacidade persistente, total ou parcial, para iniciar e/ou manter ereção suficiente para efetuar a penetração, desde o coito até a ejaculação.

As estatísticas demonstram que a Disfunção Erétil incide em até 5% dos homens de até 40 anos, em 27% dos homens que estão na faixa dos 60 anos e em 55% daqueles que têm acima dos 70 anos. Ademais, a maioria dos homens sexualmente ativos já viveu um episódio de falta de ereção, pelo menos uma vez na vida.

Diante disso, é importante citar que 70% dos casos têm origem psicológica e que a Neuropsicologia aplicada e a Psicanálise oferecem intervenções terapêuticas eficientes e eficazes.

Diversas pesquisas comprovam, que tanto para os homens, quanto para as mulheres, o tratamento psicológico tem se mostrado mais eficaz do que qualquer grupo de medicamentos, pois age na causa do problema e não só no alívio dos sintomas.

Tratamentos

Nas décadas de 50 e 60 do século XX o casal Willian H. Marsters e Virginia Johnson, estimulados pelas publicações de Alfred C. Kinsey,  colocaram a sexualidade no foco das atenções, como objeto de estudos com metodologia sistemática em seguida foi Helen S. Kaplan.  Assim, podemos dizer que o estudo científico sistemático, da função sexual, no enfoque comportamental, tem pouco mais de meio século.

Por que as mulheres casadas recusam tanto o sexo?

É bastante comum ouvir essa queixa, por parte dos homens. Eles se sentem rechaçados e, muitas vezes, chegam a acreditar que não são mais amados ou desejados, o que provoca tristeza.

Em geral, isso ocorre quando a mulher está vivendo uma Diminuição da Libido ou uma Dispareunia ou, até, uma Aversão sexual. Um estimulante para a mulher aumentar a libido pode ser bem vindo.

Em qualquer caso, é imprescindível um bom diagnóstico e uma orientação pontual por parte da sexologia, que deve indicar o tratamento adequado.

A pessoa pode nascer com Aversão ou Fobia Sexual?

Não. A Aversão Sexual desenvolve-se por algum motivo físico ou relacional remoto.

Pode ser que, durante seu desenvolvimento, a pessoa tenha passado por alguma(s) vivência(s) ruim(s) que ainda gere sofrimento, mesmo que inconscientemente, surgindo em forma de fobia direcionada ao sexo.

Não ter Orgasmo nas Relações Sexuais pode ser considerado um problema?

Pode sim. O orgasmo é uma experiência de prazer que as pessoas podem e devem ter. A capacidade de tê-lo é inerente ao ser humano, portanto, a ausência frequente do orgasmo, pode representar uma Anorgasmia (Disfunção de Orgasmo). A Anorgasmia é rara no homem, porém, em mulheres, essa disfunção é muito comum. Às vezes, a mulher pode ter orgasmos em algumas relações e não ter em outras, mesmo assim é importante a avaliação de um especialista em Sexualidade Humana que fará o diagnóstico e saberá conduzir o tratamento necessário.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *